Se piorar, afunda!

Tá ligad@ que as Barcas vão aumentar as tarifas mais uma vez??

Já um absurdo o modo como tratam os passageiros, a falta de comodidade das embarcações e a superlotação e agora temos que aturar mais um aumento em menos de um ano? Claro que não!

Nesta quarta-feira, às 20h, na Faculdade de Direito da UFF vai acontecer uma reunião de organização do movimento contra o aumento das tarifas.

480402_514716051912294_79053124_n

 

 

E olha só o que saiu sobre as Barcas esta semana no Jornal O Globo:

482730_562503623773930_767905653_n

 

Para ler a matéria completa clique aqui.

Anúncios

Movimento DCE Vivo

O Movimento DCE Vivo nasce da compreensão da importância de se ocupar com cultura e política os espaços públicos da cidade de Niterói.

O ‘Espaço DCE UFF – Fernando Santa Cruz’ é o maior Diretório Central de Estudantes da América Latina e é muito importante que esse prédio possa voltar a ser uma referência enquanto pólo de cultura em nossa cidade assim como uma importante estrutura para o movimento estudantil e trabalhadores da comunidade niteroiense.

Na contra-mão da indústria cultural e do mercado da cultura, que só lhe oferece teatro, cinema ou qualquer outro tipo de lazer apenas se você tiver condições de pagar por eles, oferecer cultura gratuitamente a partir do Espaço DCE UFF é também um movimento de contra-hegemonia que afirma a cultura como direito em tempos onde privatizar é a grande ordem para tudo.

Entretanto, ocupar esse espaço com cultura, com política e voltar a dar vida a um dos maiores prédios sob gestão estudantil do Brasil é uma tarefa onde cada um deve se sentir responsável e tomar para si a tarefa de também construir um DCE Vivo e com grande capacidade de transformação social.

O movimento é horizontal e todas as suas decisões são tomadas em assembleia abertas a todo e qualquer interessado em contribuir com a iniciativa.

O projeto é audacioso, mas reafirmar a vida em um DCE que já foi vanguarda na luta contra a ditadura e que possui em sua biografia lutadores históricos como Fernando Santa Cruz, é o dever de qualquer estudante da UFF que hoje ainda possui a ousadia de sonhar com um prédio público, vivo, ocupado por arte e principalmente protagonista das lutas sociais em Niterói.

e participe da nossa próxima reunião será no dia 09/01, às 18h, no DCE.

Fernando Santa Cruz: presente!

Estamos em greve!

O dia 21 de maio vai ser lembrado pel@s estudantes da UFF como o dia em que foi aprovada a deflagração da greve estudantil da Universidade.

Em uma grande assembleia, com cerca de 700 alun@s foi aprovado o apoio a greve d@s professores e a implementação de um greve estudantil.

A greve d@s estudantes tem o objetivo de resgatar as demandas dos estudantes que sofrem com a precarização desse processo de expansão que tem se dado não só na UFF, mas em diversas universidades federais. E ainda, fazer cumprir as diversas pautas da ocupação da reitoria que foram acordadas, mas não foram cumpridas. A greve tem ainda o papel de resguardar aqueles alun@s que sofrem assédio moral por participarem da greve, dando força para que mais possam aderir a mobilização.

Hoje, (22/05) vai acontecer a primeira reunião do Comando de Greve, um grupo aberto a qualquer estudante que queira contribuir com as atividades da greve. A reunião vai acontecer depois do ato d@s professores na Praça Arariboia (por volta das 18h30) no DCE da UFF.

Confira mais fotos da assembleia no Facebook do DCE: https://www.facebook.com/pages/Dce-Uff/230285090325339

Carta de apoio à greve dos professores

O movimento estudantil da UFF tem acompanhado as recentes mobilizações a nível nacional dos docentes contra o processo de precarização do ensino superior público e de qualidade. Na última quinta-feira, 10 de maio, realizamos um conselho de centros e diretórios acadêmicos com 49 cursos representados. Neste conselho aprovamos apoio consensual ao indicativo de greve dos professores da UFF.

Os cortes de verba do governo Dilma nas áreas sociais como saúde e educação, os maiores da histórias do país, são características de um projeto de subordinação das politicas do Estado aos interesses privados. Um exemplo disso está na figura das fundações de apoio, dos cursos pagos em universidades públicas, ou ainda a empresa brasileira de serviços hospitalares que vem privatizando os serviços nos H.U. Reflexo desse projeto na educação é uma crescente deteriorização das condições de trabalho e estudo somada a uma descaracterização do papel social da universidade, que deveria ser de articulação com as demandas da maior parcela da população.

Nós estudantes da UFF, que também sofremos com as condições dessa precarização no ensino superior, temos nos organizado para enfrentar esse projeto. Recentemente construímos processos de luta em unidade com os docentes e servidores: uma grande campanha contra a cobrança de mensalidades no plebiscito sobre os cursos pagos; a ocupação da reitoria que reivindicava, entre outras coisas, melhores condições de trabalho e estudo; a greve dos servidores do ano passado também contou com solidariedade estudantil e docente. Conseguimos avançar neste enfrentamento, porém, entendemos que a luta por uma universidade pública, gratuita e de qualidade, que seja socialmente referenciada nos interesses populares somente será vitoriosa com o fortalecimento de nossa unidade.

São legitimas as pautas do movimento docente como: a carreira única, a restruturação da carreira com a valorização do piso e a incorporação das gratificações aos salários, ou ainda a melhoria das condições de trabalho nas IFES entre outras. E nosso apoio não se resume apenas a solidariedade com as reinvindicações dos professores, mas também, no nosso intuito em se somar a luta. Esse é o momento de unidade de todos aqueles que querem uma outra educação.


Chamamos todos a participarem do ato organizado pelos docentes para pressionar o
ministério do trabalho a atender nossas pautas. O ato ocorrerá na próxima sexta, dia 18 e
será no campus do fundão da UFRJ, com ônibus saindo as 8:30 do mesmo dia da praça da Cantareira.

SÓ COM UNIDADE NA LUTA, ENFRENTAMOS OS ATAQUES DO GOVERNO E CONSTRUIMOS A UNIVERSIDADE QUE QUEREMOS !!!

Nós temos a solução: mulheres contra a opressão!

A cada 20 segundos uma mulher é agredida no Brasil e não podemos aceitar!

O DCE Livre UFF parabeniza pelo dia de hoje todas e todos que estão na luta por uma sociedade justa, igualitária e livre. A luta pelo fim das opressões inclui o fim da opressão da mulher pelo homem, logo, a luta feminista também é uma luta de tod@s.

Parabéns Mulheres! Que esse dia não seja só mais um dia, que nos lembremos da greve das tecelãs ou das mulheres incendiadas em NY, que nos lembremos de todas as lutas que vem ao longo de séculos diminuindo as diferenças entre mulheres e homens.

HOJE É DIA DA MULHER, HOJE É DIA DE LUTA!

“Por um mundo onde sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres.” Rosa Luxemburgo

Confira o que rolou na mídia sobre o ato nas Barcas

Grupo protesta contra o aumento na tarifa das barcas na Estação Arariboia

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/grupo-protesta-contra-aumento-na-tarifa-das-barcas-na-estacao-arariboia-4217914#ixzz1oHOfhHUX

Passageiros fazem protesto contra aumento na tarifa das barcas

Esta segunda-feira é o primeiro dia últil do reajuste de 60,7% no valor da passagem

Leia o resto em:http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/noticias/passageiros-fazem-protesto-contra-aumento-na-tarifa-das-barcas-20120305.html

Grupo constrói barca de papel para protestar contra reajuste de mais de 60% da passagem

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/grupo-constroi-barca-de-papel-para-protestar-contra-reajuste-de-mais-de-60-da-passagem-4218052.html#ixzz1oHOwE2rX

Alguns vídeos:

  • Juventude na luta contra o aumento das tarifas
  • Barcas S/A justifica aumento nas passagens