O que defendemos?

Propostas aprovadas no VI Congresso da UFF

Os delegados e delegadas ao VI Congresso Estudantil da UFF, reunidos em Plenária Final no dia 13 de Junho deliberam sobre os seguintes temas elencados abaixo:

1 – Conjuntura

– O Congresso estudantil da UFF ocorre em um momento especial na conjuntura. A crise econômica que pegou em cheio a Europa, em especial a Grécia que realizou em 2 meses 5 greves gerais. Esse processo é parte da crise econômica mundial. No Brasil, o governo Lula prioriza o lucro dos banqueiros e das multinacionais em detrimento dos investimentos nas áreas sociais como Saúde, Educação, Habitação, entre outros. O DCE da UFF reafirma sua independência aos governos, reitorias e partidos.

1.1 – Petróleo

– Contra a lei Ibsen e a lei Pedro Simons

– Participação do DCE na campanha “O Petróleo tem que ser nosso” e o incentivo também à participação dos Centros e Diretórios Acadêmicos.

– Massificar a divulgação do I Concurso de Trabalhos Universitarios, além de organizar debates e atividades sobre a Campanha “O Petróleo tem que ser nosso” na UFF, especialmente nos campi localizados em cidades exploradoras do petróleo.

– Pela transparência de utilização dos royalties do petróleo nas cidades gestoras

2 – Debates Específicos

2.1 – Diversidade Sexual

– Apoio ao Projeto de Lei 122, que criminaliza a homofobia, fazendo uma discussão crítica sobre o PL.

– Organização de seminários anuais sobre diversidade sexual, sendo o primeiro com data limite da primeira quinzena de Novembro de 2010, a ser realizado em Pádua.

– Garantir transporte para a participação dos estudantes da UFF (Niterói e Interior) para o ENUDS.

– Organizar Pré-ENUDS no Interior (entre Agosto e Setembro de 2010).

– Chamado as entidades da UFF para organizar uma intervençao na Parada Gay de Niterói, no dia 04 de Julho.

– Buscar transporte para os estudantes do interior para reuniões do Grupo de Diversidade da UFF, Diversitas.

– Crítica ao Programa “Brasil sem Homofobia”

2.2 – Mulheres

– Que haja creches durante os encontros estudantis .

– Que seja feito junto a inscrição em disciplinas um questionario aos estudantes para que se possa saber a quantidade de filh@s das estudantes.

– Que o DCE produza uma cartilha das mulheres estudantes da UFF.

– Campanha para que as estudantes possam entram com seus filho@s no bandejao.

– Que na proxima calorada seja feita uma campanha pela ampliação da creche da uff, inclusive para o interior

– Construir um forum estudantil sobre genero , com o apoio do sintuff e aduff, tendo sua primeira reuniao no proximo dia 2 as 18H no bandejao.

2.3 – Opressão Racial

– Que o DCE-UFF defenda, como bandeira prioritaria, a implementação do sistema de cotas para negros e negras da classe trabalhadora e indígenas estudantes oriundos de escolas publicas. Com garantia de uma politica de assistencia estudantil especifica para permanencia.

2.4 – Direitos Humanos

– Que haja uma maior interação das lutas dos estudantes com as questões dos direitos humanos, tanto na construção de mobilizações em conjunto com os movimentos socias e populares.

– moção de repudio : nos estudantes da UFF , criticamos a atual perspectiva de segurança publica, baseada apenas no policiamento, e na logica das UPP , dos Caveiroes , e no choque de ordem. Defendemos um modelo de segurança onde os respeitos ao ser humano seja seu pilar fundamental.

3 – Educação

– O DCE-UFF deve construir o espaços e campanhas unitárias como a plenária do movimentoEstudantil que ocorreu em Santos, com  a participação de DCE´s, oposição de esquerda da une, anel e estudantes independentes, construindo uma campanha nacional pela qualidade do ensino com os eixos votados na plenária do movimento estudantil em Santos dia 05/06.

3.1 – Assistencia Estudantil

– Pela ampliação das bolsas sócio-econômicas que existem na UFF.

– Por uma política diferenciada de assistencia estudantil no interior, que atenda as demandas específicas de bolsas, moradia, restaurantes universitários, bibliotecas, entre outros.

– Pelo aumento do número de bolsas de pesquisa e extensão e a democratização do processo de seleção dessas bolsas.

– Ampliação do percentual do PIB para a Educação para 10%

– Que os estudantes de pré-vestibularespopulares da UFF tenham acesso ao bandejão e às bibliotecas da UFF.

– Pela divulgação das bolsas emergenciais, pelas coordenações de cursos, no ato da matrícula e inscrição em disciplinas aos calouros.

– Pela abertura de novas bolsas emergenciais durante o ano.

– Pela criação das bolsas alimentação para os estudantes do interior, existindo de forma provisória, enquanto não forem construidos os bandejões.

– Pelo fim dos atrasos no pagamento das bolsas. Estabelecimento de um dia fixo para o pagamento.

– Equiparação de todas as bolsas ao salário mínimo, com reajuste único, de acordo com o aumento do salário mínimo.

– Lutar pela aceleração das obras da moradia estudantil. Após o inicio do funcionamento da moradia, lutar pela abertura do bandejão também aos sábados e domingos.

– Construção de uma nova biblioteca para a Faculdade de Direito de Niterói, uma vez que a que funcionava até então, encontra-se fechada por conta de inundações, que se repetem em todo período de chuvas, impedindo o acesso dos estudantes ao acervo e a locais adequados de estudo.

3.2 – Cursos Pagos

– Construção imediata do comite em defesa da universidade 100% gratuita , em conjunto com a ADUFF e o SINTUFF, sendo o comite aberto  a participação de tod@s.

– A calourada do DCE-UFF 2010/2 terá como tema a campanha pela gratuidade de todos os cursos pagos , denunciando a logica que vem tomando conta de nossa universidade, colocando a mesma subordinada a intereses privados, abrindo caminho para a corrupção e o clientelismo. Devemos aproveitar o momento para pautar a ampliação do carater publico da universidade: mais pesquisa socialmente referenciada , maior democracia no acesso , mais extensao e maior permeabilidade para as demandas da sociedade.

– Organizar sobre os cursos pagos debates em todos os campi inclusive no interior e no maximmo de cursos possiveis com todas as opinioes

– Participar da reuniao do comite na proxima quinta

 

3.3 – Interiorização

– Criação de um manifesto/ cartilha do interior , com a participação de todos os campi do interior.

– Construção de atos ou passeatas com o apoio do DCE tanto na reitoria como nas cidades onde for preciso pressionar as prefeituras locais.

Criar uma lista de e-mails dos estudantes do interior que lutam por uma interiorização de qualidade.

– Eleições diretas e no minimo paritarias para as direções dos polos.

– Debates em todos os campi do interior sobre os cursos pagos, antes do plesbicito.

– Garantia do tripe ensino, pesquisa e extensao em todos os campi do interior.

– Garantias minimas de assistencia estudantil no interior como : bandejões , moradia, bibliotecas com acervos de qualidade, tranporte universitario ou passe-livre, mais bolsas e laboratorios.

– Pelo fim dos containers, e dos serviços terceirizados

pelo fim dos convenios com as prefeituras , buscando uma interiorização 100% federal.

– Contra a transformação da moradia estudantil do puro em salas de aula.

– Resolver a questão do fim do emprestimo do atual prédio de Padua e acelerar a construção dos predios, bem como os demia slocalidades que não possuem prédio.

– Construir um gt de interiorização aberto e composto por representantes de todos os campi do interior eleitos por assembleias com a ajuda do dce.

4 – Movimento Estudantil

– O DCE luta pela unidade do movimento estudantil, independente a partidos governo e reitorias. Nesse sentido é importante fortalecer as iniciativas que lutem por autonomia do movimento dentro e fora da UNE combatendo a posição majoritária da entidade que a atrela ao governo. Defendemos a organização de um Fórum de mobilização incluindo os estudantes que estão dentro e fora da UNE na luta por uma  educação pública gratuita e de qualidade, contra os ataques do REUNI e e garantindo que a luta dos cursos pagos tome proporções nacionais. O DCE da UFF faz um chamado a construção de um espaço unitário e se incorpora nas deliberações votadas na plenária de Santos, que tem como pauta unitária: AssistênciaEstudantil, Democracia, Expansão com Qualidade, Passe Livre, Contra o aumento de mensalidades e confecções de materiais e incentivo a unidade nas da esquerda nas univerisades.

– Que o DCE-UFF priorize espaços de unidade entre os setores do movimento estudantil que lutam por uma educação pública, gratuita e de qualidade, e que lutam contra políticas educacionais do Governo que precarizem a universidade, como a “Esquerda da UNE” e a ANEL.

– Lutar pela disponibilização de espaço físico em todas as unidades do interior, para as atividades  do movimento estudantil. Exigimos a imediata devolução do espaço do DEPURO (Departamento Estudantil do Pólo Universitário de Rio das Ostras), ocupado pela Dirreção da Unidade, aos estudantes.

– Construção de caloradas unificadas do DCE com os CA´S e DA´s.

– Construir CA´s e DA´s com gestões abertas , onde conjunto dos estudantes do curso sejam protagonistas, se organizando a partir de uma logica de democracia direta em contraposição as formas tradicionais de democracia.

– Campanha no interior e na sede , pelo controle dos estudantes das xerox, atraves dos CA´S e DA´S,  visando o barateamento das xerox e o financiamento do movimento estudantil.

 

Anúncios

Uma resposta em “O que defendemos?

  1. Sobre o comitê para a Uff 100% gratuita:
    Gostaria de saber sobre o resultado do plebiscito e o que aconteceu após o mesmo.
    Estava fora do país e não consegui ver notícias no site.
    Quero participar das reuniões do comitê. Quando será a próxima?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s